• Zênia Guedes

Meus cuidados em casa


Ao longo da vida, várias pessoas me perguntam onde coloro ou corto o meu cabelo, cuido das unhas e da pele do rosto ou como aprendi a fazer maquiagens.

Quando o assunto era beleza, maquiagem ou moda, inventava um jeito de eu mesma arriscar a fazer ou observar como as amigas se cuidavam nos salões de beleza. Na adolescência, não tinha dinheiro para ir ao salão periodicamente. Por isso, minha mãe me incentivava a cuidar-me com produtos disponíveis em casa ou ela mesma comprava esses produtos para usá-los em casa.

1. Cabelos

Com meses de vida, meu pai cortava meu cabelo, até os 15 anos de idade. Aos 16, resolvi eu mesma cortá-lo, porque ansiava por cortes de cabelos mais repicados, compridos, com franjas, e tal. Recordo que, nos meus 32 anos, fui ao salão de beleza duas vezes na minha vida para cortá-los. Gostei do corte, mas o que pesava mais era dinheiro "curto", e não gostava de pedi-lo aos meus pais, porque havia outras prioridades.

Também coloro meus cabelos de tempos em tempos. Já tingi de vermelho, californianas, loiro, luzes, tonalizantes, preto e mechas. Essa atitude geralmente aflora quando vou à farmácia e não resisto à novidade do setor de pinturas para cabelo. Atualmente, uso a cor "Chocolate à Passarela" da L'oreal Paris. Uma caixa é suficiente para retocar a raiz duas vezes por um ano.

Gosto de hidratar e restaurar os fios em casa. Faço rodízio de produtos para obter melhores resultados. Já comprei dois produtos para selar o cabelo em casa, um deles de mandioca! Toda semana alterno dias de hidratação com cremes e óleo de côco, e restauração com ampolas.

2. Unhas

Comecei a usar esmalte nas unhas ainda criança, de brincadeira. Porém, não gostava de que outras pessoas cuidassem delas. Assim, deixa eu te explicar melhor! Quando criança, minha mãe cortava minhas unhas. Saía toda suada com receio de me machucar, insegurança, sabe? Certa idade, não lembro qual, iniciei meus cuidados com as unhas sozinha - corte e pintura.

Há uns quatro anos, também iniciei retirada de cutículas. Sim, amiga!! Demorei a retirar cutículas, porque eu receava em sentir dor ou arrancar um B I F E, haha. Além disso, não retirá-las não me incomodava tanto, até perceber que o acabamento não era bom depois de um trabalho associado à preguiça. Assim, fui retirando cutículas aos poucos até me adaptar a esse avanço. Também, nunca fui ao salão de beleza para fazer as unhas e as cuido em casa. Faço-as uma vez por semana, geralmente no domingo.

3. Rosto

Sou de Salvador-BA e minha pele era muito boa, até aos 20 anos de idade. Quando me mudei para Brasília, em 2005, meu rosto pipocou de espinhas e inflamações. Minha auto-estima reduziu sensivelmente. Não queria sair de casa, porque as pessoas ao meu redor perguntavam o que havia na minha pele. Fiz dois tratamentos com Roacutan (Isotretinoína), sem sucesso a médio prazo.

Amiga! Esse tratamento melhorou por um tempo, mas as benditas espinhas retornavam e desisti desses tratamentos agressivos, inclusive produtos com ácidos tópicos. P O R F A V O R !!! Não estou incentivando você a desistir do seu tratamento. Até porque fiz o tratamento completo e cada indivíduo responde de uma maneira. Recomendo procurar um dermatologista de confiança para avaliar seu caso, tudo bem?

Voltando! Após insucesso com tratamentos para espinhas e inflamações, procurei recursos baratos que pudessem me ajudar a melhorar o aspecto do meu rosto. Busquei por sabonetes neutros e hidratantes leves de uso diário (2x), pois minha pele é mista, ou seja, há áreas do meu rosto que produzem mais oleosidade que em outras. Percebi que as inflamações do rosto eram resultado de baixa hidratação. Também uso Bepantol em creme para hidratar áreas ressecadas da pele, antes de dormir. Recomendo!

3.1 Maquiagem

A paixão pela maquiagem iniciou com a necessidade de esconder minhas espinhas e inflamações do rosto. A partir do uso diário da maquiagem, adaptei a rotina de cuidados com a pele que melhoraram o seu aspecto. Preocupo-me em lavar, demaquilar, limpar e hidratar a pele todos os dias. Esses cuidados propuseram a reduzir minhas imperfeições a médio e longo prazo.

Além disso, descobri essa paixão (maquiagem) quando Priscila Oliveira, minha amiga-irmão do coração, me apresentou a Camila Coelho, com vídeos e dicas de maquiagem. Amei a indicação e busquei outras blogueiras com esse perfil para aprender a fazer makeup.

Assisti, e ainda assisto muitos vídeos no YouTube, porque há sempre novidade no mercado e dicas de beleza. As maquiagens que tenho hoje foram adquiridas ao longo do tempo ao observar dicas das blogueiras como, por exemplo, Bruna Tavares, Lu Ferraes, Bruna Malheiros, Niina Secrets, Mariana Saad, entre tantas outras maravilhosas, D I V A S.

Saibam, amigas!! A maquiagem necessita de treino, muito treino. Ainda erro bastante e tento acertar à minha maneira. Lembrando que makeup é versátil. Não há regras!! O importante é usar aquilo que te faz bem, inclusive nada. Seja feliz!!

Sou feliz pela autonomia de cuidar de mim quando e onde desejo, sem esperar atendimento prolongado ou pagar tão caro por cuidados que você pode fazer em casa. Acredito que, das pouquíssimas vezes em que eu fui ao salão de beleza, os resultados em que eu obtive por mim mesma foram melhores que lá (salão). Além da economia anual, mulheeer!!! A crise financeira no país está forte e temos que canalizar recursos com outras prioridades. Faça você mesma! És C A P A Z !!

Então, amiga!! Quais rotinas de cuidados de beleza você faz em casa? Comente aqui!

Bjs, Z.

Siga-nos na página do Facebook e do Instagram.

#reflexão #motivação #atitudes

© Copyright  Isso Que é Amiga 2017-2020. Powered by Wix.com!

Brasil | Distrito Federal | Brasília